Dino renova decreto de estado de calamidade pública em todo o Maranhão por causa da pandemia Desde 2020 o governo do Maranhão decretou estado de calamidade pública em todo o território maranhense, sendo que a medida foi sendo reiterada ao longo de 2020 e 2021.O novo decreto ficará em vigor até o dia 31 de março de 2022.

Dino renova decreto de estado de calamidade pública em todo o Maranhão por causa da pandemia Desde 2020 o governo do Maranhão decretou estado de calamidade pública em todo o território maranhense, sendo que a medida foi sendo reiterada ao longo de 2020 e 2021.O novo decreto ficará em vigor até o dia 31 de março de 2022.

Ogovernador Flávio Dino (PSB) renovou o estado de calamidade pública em todo o Maranhão, devido ao aumento de novos casos da Covid-19. O novo decreto foi assinado na última segunda-feira (3) e ficará em vigor até o dia 31 de março de 2022, podendo ser prorrogado mediante novo decreto.

Segundo o documento, a medida foi estabelecida por causa do atual momento da pandemia, em que novas variantes estão surgindo, a exemplo da Delta e da Ômicron, que já possuem registro de infecções no Brasil e possuem alto grau de transmissão.

O documento destaca, ainda, dados do Ministério da Saúde de 31 de dezembro de 2021, quando o Brasil atingiu a marca de mais de 619 mil mortes pela Covid. Na mesma data, o Maranhão registrou mais de 370 mil casos da doença, que resultou em mais de 10 mil óbitos.

“Considerando a persistência do referido desastre biológico, o elevado número de pessoas contaminadas pela Covid-19 no Estado, bem como o parecer técnico da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, do Corpo de Bombeiro Militar do Maranhão, que recomenda a declaração de estado de calamidade pública ante os efeitos oriundos de problema biológico… fica declarado o estado de calamidade pública em todo o território do Estado do Maranhão, para fins de prevenção e enfrentamento da Covid-19”, diz um trecho do decreto.

Com a decisão do governador, será facilitada a transferência de recursos do Estado aos municípios para o combate à pandemia. Além disso, os processos de compras de insumos também serão facilitados, não sendo necessário a realização de um processo ordinário de licitação.

Segundo o documento, as medidas sanitárias destinadas à contenção da Covid-19 e enfrentamento da calamidade pública ainda serão divulgadas, por meio de normas estaduais específicas.

Desde 2020 o governo do Maranhão decretou estado de calamidade pública em todo o território maranhense, sendo que a medida foi sendo reiterada ao longo de 2020 e 2021. Segundo o governo estadual, a última declaração de estado de calamidade no Maranhão foi feita em 13 de dezembro de 2021 e terminava no dia 31 de dezembro de 2021. Com o término do prazo, o governo renovou o decreto.

Carnaval no Maranhão

 

Apesar de ter decretado um novo estado de calamidade pública, o governador do Maranhão ainda não decidiu se haverá programação de Carnaval no Estado em 2022.

Durante uma coletiva realizada no dia 3 de dezembro de 2021, Flávio Dino falou sobre a realização do Carnaval 2022. Segundo ele, um posicionamento sobre a festa deve ocorrer apenas em meados deste mês de janeiro.

“Sobre o carnaval, nós só vamos decidir, no que se refere ao Governo do Estado, no mês de janeiro. Não haverá nenhuma decisão sobre Carnaval até, mais ou menos, 15 de janeiro, porque o Carnaval, se houvesse, ou se houver, será no final de fevereiro, comecinho de março”, destacou.

Cancelamento do Carnaval em São Luís

 

Já em São Luís, o prefeito Eduardo Braide (Podemos) decidiu cancelar a programação oficial do Carnaval na capital maranhense, afirmando ser uma medida necessária devido a pandemia da Covid-19. O anúncio foi feito pelo gestor nas redes sociais.

“A vida em primeiro lugar! Por conta do aumento de casos de Covid, 10% dos testes positivos, decidi pelo cancelamento do Carnaval de São Luís este ano. Teremos um auxílio pra quem faz o nosso carnaval, que será anunciado nos próximos dias. Nossa missão é cuidar das pessoas!”, declarou o prefeito.

Em entrevista à TV Mirante, Braide afirmou que, desde o ano passado, a Prefeitura de São Luís passou a realizar uma ampla testagem de Covid-19 na cidade. E, com base nessa testagem, foi possível saber a realidade do cenário epidemiológico na capital.

“Ainda no ano passado, já nos últimos meses, nós tínhamos uma taxa de testes positivos para o novo coronavírus, de 1,34%. Essa taxa começou a aumentar, principalmente, agora no início do ano, chegando ao percentual de 10%. Isso quer dizer que, a cada 10 pessoas que está testando para o novo coronavírus em São Luís, uma está apresentando um resultado positivo, o que é um número grande”, destacou o prefeito da capital maranhense.

Braide afirmou que, diante desse aumento na taxa de testes postivos, decidiu cancelar o Carnaval oficial na cidade.

“Por prudência, por medida de cautela, termos colocado a vida em primeiro lugar, é que eu tomei a decisão de fazer o cancelamento das festas de Carnaval este ano” , afirmou o prefeito de São Luís.

 

Braide ainda afirmou que a Prefeitura de São Luís dará um auxílio para as pessoas que trabalham com o Carnaval, porém ainda está analisando como será oferecido o auxílio.

Coronavírus no Maranhão

 

O Maranhão chegou nesta quarta-feira (5) a 371.132 casos e 10.386 óbitos por Covid-19, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Foram registrados 194 casos e duas mortes nas últimas 24 horas. Dos novos casos registrados, 19 foram na Grande Ilha de São Luís, 27 em Imperatriz e 148 nas demais regiões do estado.

Segundo os dados, as mortes foram registradas em Estreito (1) e Ribamar Fiquene (1). Os dois óbitos ocorreram nas últimas 24 horas.

O número de casos ativos (pessoas que, no momento, estão com Covid-19) chegou a 2.239. Desse número, 2.220 estão orientados a ficar em isolamento domiciliar, 61 estão internadas em enfermarias e 58 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Casos de síndrome gripal em São Luís

 

Além dos casos de infecção por Covid-19, a Grande São Luís enfrenta um aumento nos casos de síndrome gripal causado pelo vírus Influenza, H1N1 e H3N2. Desde o fim do mês de dezembro de 2021, pacientes com sintomas gripais têm lotado hospitais em São Luís e na Região Metropolitana.

Socorrinho em São Luís lotado de pacientes com sintomas gripais no fim de dezembro de 2021. — Foto: Matheus Soares/Grupo Mirante
Socorrinho em São Luís lotado de pacientes com sintomas gripais no fim de dezembro de 2021. — Foto: Matheus Soares/Grupo Mirante

De acordo com especialistas em saúde, a ilha está vivendo uma situação sazonal de gripe, que ocorre sempre no início do período chuvoso. Ainda assim, é preciso estar atento aos sintomas.

“Muita gente procurando os serviços de saúde satura a demanda, mas na verdade essa é uma questão sazonal. Normalmente de janeiro até março há um aumento expressivo nesses casos em toda São Luís”, Daniel Saraiva, coordenador de Vigilância Epidemiológica.

 

No dia 22, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou o primeiro caso confirmado por laboratório de Influenza subtipo H3N2 no Maranhão. Se tratava de um menino, de 10 anos de idade, que já se recuperou.

Apesar dos casos na Ilha de São Luís não terem confirmação de que são relacionados ao H3N2, os cuidados a serem tomados seguem os mesmos em relação ao coronavírus: Lavar as mãos, manter distanciamento e usar máscara.

No caso de doenças relacionadas ao vírus da gripe, um dos perigos é o avanço da doença de forma a se caracterizar uma Síndrome Respiratória Aguda Grave. que já teve 175 registros no Maranhão somente em 2021. O número de mortes já é o maior dentre todos os estados do país: 40 registros.

Fonte| G1MA

Luis Augusto

Deixe um comentário