Exercício físico potencializa a resposta imune induzida por vacina

Exercício físico potencializa a resposta imune induzida por vacina

Exercício físico potencializa a resposta imune induzida por vacina

A pesquisa contou com cerca de 1.095 voluntários na cidade de São Paulo. Todos eles foram imunizados com a CoronaVac, entre fevereiro e março de 2021.

 

Uma nova pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), divulgada na última terça-feira (10), demonstrou que o tempo ativo – seja ele dedicado aos exercícios regulares ou outras atividades que movimentam o corpo – trazem benefícios para a produção de anticorpos induzidos pela vacina contra a Covid-19. Segundo o estudo, as respostas mais consistentes foram vista entre indivíduos ativos que realizam ao menos 50 minutos de atividade física diariamente.

De acordo com O Globo, o experimento proposto por cientistas da USP, que demonstrou a benfeitoria de manter o corpo ativo para potencializar a resposta às vacinas, contou com cerca de 1.095 voluntários na cidade de São Paulo. Todos eles foram imunizados com a CoronaVac, entre fevereiro e março de 2021.

Os pesquisadores avaliaram a qualidade da resposta vacinal através de testes laboratoriais, sendo os principais aqueles que estimam a produção total de anticorpos contra o SARS-CoV-2 (IgG total) e a quantidade específica de anticorpos neutralizantes (NAb), que possuem a função de impedir a entrada do vírus nas células.

Segundo Bruno Gualano, professor da Faculdade de Medicina (FMUSP) e um dos autores do artigo, as respostas mais consistentes foram observadas entre os indivíduos que realizavam ao menos 50 minutos de atividade física diariamente e que não apresentavam comportamento sedentário, ou seja, não passavam mais de oito horas diárias sentados ou deitados.

Vale mencionar que os pesquisadores não restringem o tempo ativo somente à prática regular de exercícios em uma academia, por exemplo, mas também compreendem outras atividades que mantém o corpo em movimento – como passear com o cachorro, limpar a casa, cuidar do jardim, lavar a roupa na mão, carregar pesos, realizar consertos, andar a pé ou de bicicleta até o trabalho etc. No entanto, ponderam que uma pessoa que corre durante uma hora todos os dias, mas passa o resto do tempo sentada em frente a uma tela é considerada ativa e sedentária ao mesmo tempo. Desse modo, os estudiosos precisaram combinar os dois conceitos para prosseguir com a análise.

O critério clínico adotado pelos cientistas “aprovou” os voluntários que apresentaram pelo menos 15 unidades arbitrárias (UA) de anticorpos por mililitro (mL) de sangue no exame de IgG total. Já em relação aos anticorpos neutralizantes, considerou-se uma resposta positiva quando observado ao menos 30% de inibição da ligação entre o SARS-CoV-2 e a enzima conversora de angiotensina (ACE2), proteína que facilita a entrada do coronavírus no organismo.

Como conclusão, eles verificaram que a atividade física é determinante para melhores resultados de resposta vacinal contra a Covid-19, independentemente de fatores como idade, sexo e uso de imunossupressores comerciais. “Realizar o mínimo de atividade física já produz uma resposta positiva, porém, observamos que quanto mais movimento, melhor.”, disse Gualano.

É preciso assinalar que embora só tenham sido avaliados indivíduos imunizados com a vacina CoronaVac, os pesquisadores confirmam que o mesmo efeito possa ser observado com outras vacinas disponíveis contra a Covid-19. Além disso, eles afirmam que os benefícios da movimentação do corpo são replicáveis para a prevenção de outras doenças.

Luis Augusto

Deixe um comentário