Maranhão realiza mostra de cinema em homenagem ao São João

O Complexo Cultural do Bumba-meu-boi é um dos bens culturais do Maranhão. — Foto: Diego Chaves/Divulgação

O bumba meu boi e a festa de São João serão retratados na primeira edição da Mostra Equiô de Cinema, online, que exibe oito filmes, três curtas, quatro médias-metragens e um longa, entre os dias 24 e 30 de junho, gratuitamente na internet.

Para assistir aos filmes basta acessar o YouTube do Governo do Maranhão, que está organizando a exibição através da Secretaria de Estado da Comunicação Social, em parceria com diretores e realizadores de cinema.

Guriatã (2018), filme sobre o maior cantador de bumba meu boi do Maranhão, é um dos destaques. Dirigido por Renata Amaral, o longa conta a história do mestre Humberto de Maracanã, que por mais de 40 anos esteve à frente do Batalhão de Ouro do Bumba Boi de Maracanã, um dos principais grupos do gênero no estado.

A cidade de Matinha, na Baixada Maranhense, também tem um lugar especial na mostra. O documentário Sotaque – Encontro da Baixada (2017), dirigido por Marise Farias, retrata o Encontro de Bumba Meu Boi, de sotaque da Baixada, realizado anualmente no município desde 1977. Em uma única noite, inúmeros grupos de toda a baixada se reúnem para formar um espetáculo único de cores e som, de raiz.

Ainda sobre o interior do estado, no curta Fragmentos do Bumba Meu Boi de Buriti Bravo em 1974 (2021), o cineasta Murilo Santos conta a história das imagens que registrou na cidade há mais de 40 anos.

 Outra dica é Cabocla de Pena (2019), que encanta com o bailado dos 29 Caboclos de Pena de 11 bois de matraca da Ilha de São Luís e do município de Icatu. No filme, os protagonistas destacam a liberdade de criação para seus passos, sem coreografia pré-determinada, cada um com sua ginga e estilo próprio.

A mostra foi idealizada pelo jornalista Saulo Marino em alusão ao São João e tem curadoria da pesquisadora de cinema e servidora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Nádia Biondo. Os filmes estarão disponíveis apenas entre os dias 24 e 30 de junho.

Luis Augusto

Posts Relacionados

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem.  Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos.   Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil.  A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox.    O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país.   Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde.  *Com informações da Radioagência Nacional

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem. Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos. Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil. A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox. O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país. Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde. *Com informações da Radioagência Nacional

Deixe um comentário