Operação prende 79 pessoas por crimes violentos no Maranhão Operação “Duzentos e Dezessete” durou 10 dias

Operação prende 79 pessoas por crimes violentos no Maranhão Operação “Duzentos e Dezessete” durou 10 dias

A Polícia Civil do Maranhão deflagrou a “Operação Duzentos e Dezessete” entre os dias 15 e 24 de fevereiro, conforme determinação da Delegacia Geral de Polícia Civil, tendo como enfoque o combate aos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI), além de tentativas de homicídio, feminicídio e latrocínios, ocorridos na capit al e no interior do Estado. Em 10 dias de operação, 79 pessoas foram presas por praticarem algum dos citados crimes.

Tal ação policial que envolveu mais de 504 policiais civis tinha como missão intensificar e concluir investigações que resultassem no cumprimento de medidas cautelares de CVLI e das tentativas dos crimes de homicídio, feminicídio e latrocínio ocorridos em todos os municípios do Maranhão, derivados de trabalhos investigativos da Polícia Civil.

Em números, foram 79 pessoas presas, 29 Mandados de Busca e Apreensão realizados, além de 3 veículos, 17 armas de fogo e 32 munições de vários calibres apreendidas. As diligências contaram com o uso de 155 viaturas da Polícia Civil do Maranhão.

O nome da operação é uma referência ao número de municípios que existem no Estado do Maranhão e que receberam ações policiais para prevenir e reprimir, de forma qualificada os crimes contra a vida. O foco da operação estava voltado para o interior do estado, onde foi montada uma força-tarefa com as delegacias regionais para fazer levantamentos dos mandados de prisão em aberto, diligências e intensificações das investigações visando a elucidação dos crimes.

A Operação Duzentos e Dezessete foi deflagrada por equipes das seis superintendências da Polícia Civil do Maranhão (SPCI, SPCC, SHPP, SEIC, SENARC e SECCOR) e do Centro de Inteligência da Polícia Civil (CIPC).

Na visão do delegado geral adjunto operacional da Polícia Civil, Danilo Veras, o resultado da operação é satisfatório. “A operação tinha como objetivo intensificar as investigações de crimes contra a vida que resultasse no cumprimento de mandado de prisão dos autores. Foram 79 criminosos retirados de circulação e que agora ficarão à disposição da justiça”, destacou Danilo Veras.

Luis Augusto

Posts Relacionados

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem.  Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos.   Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil.  A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox.    O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país.   Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde.  *Com informações da Radioagência Nacional

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem. Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos. Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil. A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox. O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país. Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde. *Com informações da Radioagência Nacional

Deixe um comentário