SÃO JOÃO INVISÍVEL Conheça o projeto que ajuda pessoas que perderam sua renda pela falta das festas juninas

SÃO JOÃO INVISÍVEL
Conheça o projeto que ajuda pessoas que perderam sua renda pela falta das festas juninasJá se passaram mais de 470 dias da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Pelo segundo ano consecutivo, a festa mais tradicional do Maranhão não será realizada.

Mais do que toadas e batalhões pesados, o São João também é marcado por sons, aromas e sabores. Entre eles, o som da pipoca estalando, o cheiro daquele churrasquinho na brasa e o sabor daquele milho cozido. Coisas que também fazem parte das nossas festividades e, infelizmente, terá que ser adiado mais uma vez.

Por trás de tudo que para a maioria das pessoas é comum, existe sempre alguém que é o responsável por fazer aquilo acontecer. Pensando nisso, o projeto solidário São Luís Invisível, em parceria com a Hipperpan, lançou a campanha solidária São João Invisível.

No mesmo formato do Carnaval Invisível, que ajudou catadores de latinhas em parceria com a cerveja Magnífica, o São João Invisível também busca ajudar pessoas que trabalham nas ruas durante as festividades juninas e ficaram sem renda mais uma vez.Carlos Moraes é vendedor de pipoca há 10 anos.

Entre aqueles que serão ajudados, está o Carlos Moraes, vendedor de pipoca há 10 anos, que confessa que a renda extra que era proveniente do São João faz muita falta e não vê a hora da pandemia passar.

“No tempo do São João a gente fazia 300 reais, 400, e agora a gente não tá fazendo quase nada. A gente ‘tá’ querendo que acabe logo essa pandemia que é pra começar o São João e a gente tirar um dinheirinho melhor, porque como tá, tá difícil”, afirmou Carlos Moraes.

A campanha tem como objetivo ajudar pessoas que por algum motivo são “inivisibilizadas” pela sociedade, isto é, pessoas que são muito importantes, mas por vezes são esquecidas e passam despercebidas por nós.

Alessandra trabalha há seis anos como vendedora e é conhecida como a “Tia da batata do Reviver”. (Foto: Lucas Souza/Divulgação)
Outra pessoa que será ajudada pelo projeto, a Alessandra, ela trabalha há seis anos como vendedora e é conhecida como a “Tia da batata do Reviver”. Ela conta que além da renda, sente falta do movimento de pessoas no Centro Histórico de São Luís e que no ano que vem, teremos grandes festividades.

“Tenho 6 anos como ambulante. [Atualmente] Não tem nenhum movimento pra gente ‘né’? E em uma época dessa de São João tinha bastante gente uma hora dessas. Para o ano nós teremos um grande São João, Carnaval, isso tudo faz a gente ganhar um extra”, relatou Alessandra.

Dessa vez, no mês de Junho, as histórias contadas pelos perfis do SLZ Invisível (@slzinvisivel) e no da Hipperpan (@hipperpan), serão daqueles que costumavam vender comida durante o período junino. Tudo o que for arrecado será convertido em cestas básicas para as pessoas que foram entrevistadas.

As doações podem ser feitas via Pix, pelo CNPJ 01028132000194. Todo o valor arrecadado será revertido na compra de cestas básicas, que serão distribuídas pelo projeto SLZ Invisível

Sobre o Projeto

O SLZ Invisível (São Luís Invisível) é uma página criada na rede social Instagram, com o objetivo de contar histórias de pessoas que geralmente são invisíveis no nosso cotidiano, mas estão sempre presentes. Na maioria das vezes, são pessoas que se encontram em situação de rua, ambulantes ou catadores que costumamos encontrar durante as situações cotidianas e que carregam diversas histórias e marcas.

Luis Augusto

Deixe um comentário