Preço da gasolina e do etanol registra baixa; aponta IPTL

Preço da gasolina e do etanol registra baixa; aponta IPTL

Nas primeiras semanas de dezembro, último mês do ano, tanto o preço da gasolina e do etanol tiveram uma queda com relação ao fechamento de novembro. Quem diz isso é o levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). De acordo com ele, o valor cobrado pelo litro da gasolina teve uma retração de 0,16%. Enquanto isso, o valor do combustível vegetal caiu 0,17%.

As quedas nos valores ambos os combustíveis foram registradas após uma sequência de aumentos. De acordo com o estudo, isto não acontecia desde o mês de abril. No último levantamento, o preço da gasolina foi de R$ 6,915. Uma queda de 0,16% com relação ao fechamento do mês passado. Sendo que o valor registrado era de R$ 6,926.

O mesmo cenário pôde ser visto no preço do etanol. Este combustível está custando 0,17% nas primeiras semanas de dezembro. O preço médio passou de R$ 5,853 para R$ 5,843. Ou seja, uma boa notícia para todos os motoristas brasileiros. Ainda mais neste período que as pesoas estão se planejando para viajar durante as férias de verão.

Este levantamento da Ticket Log leva em consideração os abastecimentos realizados em 21 mil postos credenciados. E ele também traz os dados por região. E o local que teve o maior preço médio da gasolina foi a Região Centro Oeste (R$ 7,015). Um detalhe importante é que foi este o estado que teve a maior redução dos preços (0,64%). Enquanto isso, o Sul continua com o valor médio mais barato (R$ 6,757).

Além disso, foi registrada a segunda maior baixa do País (0,40%). Entretanto, a Região Norte foi a única que teve novos auemntos no preço da gasolina. No caso, este acréscimo foi de 0,25%. O mesmo aconteceu no etanol (1,18%).  Falando no combustível vegetal, foram os postos localizados na Região Sul que registraram o valor médio mais caro. Ele foi de R$ 6,245.

Enquanto isso, com etanol custando em média R$ 5,638, os postos do Nordeste registraram o etanol mais barato. A maior queda no preço do etanol foi registrada na Região Sudeste (2,82%).

Luis Augusto

Posts Relacionados

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem.  Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos.   Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil.  A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox.    O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país.   Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde.  *Com informações da Radioagência Nacional

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem. Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos. Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil. A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox. O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país. Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde. *Com informações da Radioagência Nacional

Deixe um comentário