Primeiro concurso de Toadas de Bumba Boi dos sotaques da Baixada e Costa de Mão é realizado no MA

Primeiro concurso de Toadas de Bumba Boi dos sotaques da Baixada e Costa de Mão é realizado no MA

O 1° Concurso de Toadas de Bumba meu boi dos sotaques da Baixada e Costa de Mão acontece no próximo sábado (2), no Convento das Mercês em São Luís. O projeto, organizado pela Central de Bumba meu boi de Sotaques da Baixada e Costa de Mão. O evento pretende dar maior visibilidade aos mestres, cantadoras e cantadores de Bumba meu boi desses sotaques, além de promover o Complexo Cultural do Bumba meu boi, uma caracterização forte da cultura maranhense.

A edição de estreia do concurso está sendo realizada em duas etapas. A primeira etapa de caráter eliminatório aconteceu de forma remota com as inscrições dos candidatos, análise e avaliação das toadas gravadas.

Os candidatos inscritos enviaram uma toada gravada sem base (acompanhamento de instrumentos) e que resultou em 15 candidatos classificados. Na etapa final, marcada para o próximo dia 2, cada candidato se apresentará com a toada que o classificou.

De acordo com o presidente da Central de Bumba meu boi de Sotaques da Baixada e Costa de Mão, João Batista Gonçalves Fonseca, o evento visa fortalecer o vínculo da Central com seus associados e estabelecer um calendário de comemoração do título de patrimônio estadual alusivo ao Bumba meu boi da Baixada e de Costa de Mão. “Vamos guarnicê com nossos mestres, cantadores e cantadoras para celebrar esse e outros títulos da nossa manifestação”, disse.

Para o Superintendente do Iphan-MA, Maurício de Abreu Itapary, o concurso faz parte das ações de salvaguarda desenvolvidas pelas comunidades praticantes do Complexo Cultural do Bumba meu boi, em conjunto com o IPHAN e entidades parceiras. “Essas ações reforçam e buscam fortalecer a autonomia dos grupos, além de promover mais ações de educação patrimonial e destacar ainda mais a valorização desse importante bem cultural”, pontuou.

Os Bois de Costa de Mão são originários da região do Litoral Ocidental Maranhense, tendo como berço o município de Cururupu, conhecidos pelo ritmo cadente, riqueza do bordado de sua indumentária e pela especificidade do toque do pandeiro percutido com o dorso da mão.

Por G1 MA — São Luís

 

Luis Augusto

Posts Relacionados

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem.  Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos.   Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil.  A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox.    O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país.   Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde.  *Com informações da Radioagência Nacional

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem. Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos. Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil. A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox. O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país. Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde. *Com informações da Radioagência Nacional

Deixe um comentário