REGISTRATO: População pode consultar valores do “dinheiro esquecido” a partir do dia 14 de fevereiro

REGISTRATO: População pode consultar valores do “dinheiro esquecido” a partir do dia 14 de fevereiro

A partir do dia 14 de fevereiro, a população pode consultar se tem direito a sacar algum valor “esquecido” em instituições financeiras em um site exclusivo. O novo endereço para saber se há alguma quantia é o valoresareceber.bcb.gov.br. As transferências podem ser agendadas a partir do dia 7 de março.

O antigo site havia sido lançado no dia 24 de janeiro, mas, no dia seguinte, a página do Banco Central saiu do ar devido ao grande número de acessos. Na época, o Banco Central, por meio de nota, informou que estava investindo fortemente na ampliação de sua capacidade de atendimento.

Não será possível entrar no sistema com o login do Registrado. Para ter acesso às informações, o cidadão precisará estar cadastrado no site do Governo Federal, o gov.br. Esse cadastro pode ser feito via site ou aplicativo gov.br, na Google Play ou na App Store.

O perfil do usuário deverá ser prata ou ouro, que exige uma segurança maior, com etapas como o reconhecimento facial. Com esse cadastro, a pessoa terá acesso aos bancos credenciados. Para aumentar o nível da conta, basta entrar no perfil do gov.br, procurar a aba de privacidade/selo de confiabilidade e seguir os passos das validações.

Veja mais
Após veto ao Refis, outro projeto que parcela débitos tributários de micro e pequenas empresas tramita na Câmara
Pix: confira novas funções que estarão disponíveis em 2022 
Nova lei de câmbio muda limite para turistas de 10 mil reais para 10 mil dólares ao entrar e sair do país

R$ 8 bilhões para devolução

Segundo dados do Banco Central, cerca de R$ 8 bilhões estão parados em bancos ou instituições financeiras, esperando para serem sacados. Paulo Dantas da Costa – vice-presidente do Conselho Federal de Economia (COFECON), diz que os dados são surpreendentes e que podem ajudar na economia em geral, já que os recursos aumentam a disponibilidade da renda. “É um fato importante na medida que os gastos das pessoas têm repercussão na demanda que, por consequência, atinge o setor produtivo pela fabricação de novos produtos”, ressalta.

Na primeira fase, são mais de R$ 3,9 milhões que podem ser devolvidos para mais de 24 milhões de pessoas. Esse montante vem de contas correntes ou poupanças não sacadas, cobranças indevidas de tarifas ou de obrigações de créditos, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de associados de cooperativas de crédito e grupos de consórcios extintos.

Segundo o economista César Bergo, a pessoa que conseguir reaver esse dinheiro pode utilizar esses recursos inesperados para formar um fundo de emergência, pagar as dívidas ou fazer aplicações. “Agora, realmente, a taxa de juros está bem atraente, então vale a pena aplicar em algum ativo de renda fixa. Começando pela própria poupança porque o valor pode ser pequeno ou buscar um fundo de investimento de renda fixa”, explica.

Golpes

O Banco Central também fez um alerta contra os possíveis golpes que podem ser aplicados. Segundo a instituição, é necessário estar atento aos seguintes pontos:

  • O único site para consulta e solicitação desses valores é o valoresareceber.bcb.gov.br;
  • O Banco Central não envia links nem entra em contato para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais;
  • Ninguém está autorizado a entrar em contato em nome do Banco Central ou do Sistema Valores a Receber. Portanto, nunca clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS ou por aplicativos de mensagem;
  • Não faça qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores.

Fonte: Brasil 61

Luis Augusto

Posts Relacionados

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem.  Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos.   Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil.  A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox.    O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país.   Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde.  *Com informações da Radioagência Nacional

Depois de vários casos suspeitos e descartados nos últimos 60 dias, o Maranhão registra o primeiro caso de Monkeypox no estado. O caso foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa quarta-feira. O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável, no hospital estadual Carlos Macieira, que fica em São Luís. Ele mora na capital e não apresenta histórico de viagem. Ainda segundo a Secretaria, outros três casos estão sob investigação. Um na capital e outros 2 no interior do Maranhão. O Brasil tem hoje, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, mais de 2.400 casos confirmados, além de mais de 2.900 casos sob investigação dos órgãos de saúde dos estados. Ou seja, os números podem dobrar já nos próximos dias. São Paulo continua como o estado com maior número de infectados, são mais de 1.600 pacientes com diagnóstico positivo para a varíola dos macacos. Por causa deste cenário, além da vulnerabilidade da população, com a indisponibilidade das medidas de prevenção, como vacinas, o Ministério da Saúde estabeleceu um alerta máximo para acompanhamento da varíola dos macacos no Brasil. A pasta lançou esta semana o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox. O material apresenta informações estratégicas para contenção e controle da doença no país e dá orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de varíola dos macacos, uniformizando os procedimentos das unidades de saúde em todo o país. Entre as orientações, o Plano destaca ainda que é preciso monitorar o estoque central de medicamentos para tratamento da doença, adquiridos de forma centralizada pelo Ministério da Saúde. O primeiro lote da única vacina disponível no momento contra a variante humana da Monkeypox deve chegar ao Brasil em setembro, segundo informou o Ministério da Saúde. *Com informações da Radioagência Nacional

Deixe um comentário