MulherSaúde Menopausa pode aumentar risco de doenças cardiovasculares Especialista explica que alterações hormonais que ocorrem nesse período podem afetar a saúde do coração; entenda

MulherSaúde Menopausa pode aumentar risco de doenças cardiovasculares Especialista explica que alterações hormonais que ocorrem nesse período podem afetar a saúde do coração; entenda
O estudo, feito com um grupo de 428 mulheres, identificou três comportamentos distintos durante o climatério: 61% não apresentaram mudanças na duração do ciclo menstrual, 21,8% experienciaram um aumento tardio ao menos dois anos antes da menopausa e 16,2% sofreram um aumento precoce cinco anos antes.Para os pesquisadores, um ciclo mais longo nesse período pode ser considerado um marcador da saúde vascular e contribuir para identificar a propensão a problemas de saúde após a menopausa.

O cardiologista Yuri Brasil, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia, explica que o climatério, que pode durar até dois anos, provoca uma série de alterações hormonais no organismo, o que eleva o risco de as mulheres desenvolverem problemas como doença coronariana, insuficiência cardíaca e até mesmo AVC (acidente vascular cerebral).

“Essas alterações acontecem nos níveis de estradiol e progesterona, os dois hormônios principais, além do próprio hormônio tireoidiano. Por isso as mulheres que já têm histórico de doença cardiovascular passam a ter esse risco aumentado e quem não tem pode desenvolver”, afirma o especialista.

O principal impacto ocorre devido à diminuição dos níveis de estrogênio, hormônio que tem como função dilatar as artérias e, por consequência, proteger o coração. Com essa baixa, as mulheres ficam até 30% mais suscetíveis a infartos durante o período da menopausa, conforme explica o cardiologista.

Exames de rotina são indispensáveis
Exames de rotina são indispensáveis FREEPIK

Nesse sentido, o especialista ressalta a importância do acompanhamento especializado durante essa fase da vida das mulheres.

“É muito importante que, desde o momento em que a mulher passou do estágio do climatério até parar de menstruar, ela procure um cardiologista e faça os exames de rotina no mínimo uma vez por ano, porque as alterações hormonais aumentam o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, ainda mais se a mulher tiver histórico familiar”, afirma.

Os principais sintomas de que pode haver algum problema, segundo Yuri Brasil, são dores no peito, falta de ar, palpitações e desmaios. Caso algum desses sinais seja observado, é importante consultar um especialista.

“Se algum problema for diagnosticado, o médico cardiologista vai solicitar os exames que julgar necessários. Caso seja uma insuficiência cardíaca, por exemplo, hoje em dia existem medicações que conseguem reverter o quadro. Se for uma doença arterial coronariana, a obstrução das artérias do coração, pode-se realizar um cateterismo. Cada caso é individualizado”, afirma o especialista.

A melhor maneira de evitar esses problemas, de acordo com o cardiologista, é manter hábitos saudáveis, como a prática de atividade física e a alimentação balanceada, sem excessos. Além disso, é importante que o check-up seja feito ao menos uma vez por ano.

Luis Augusto

Deixe um comentário