Veja quais sintomas da Ômicron devem te alertar Dor de garganta, músculos doloridos, principalmente na região da lombar, nariz entupido, são possíveis sinais da nova variante.

Veja quais sintomas da Ômicron devem te alertar Dor de garganta, músculos doloridos, principalmente na região da lombar, nariz entupido, são possíveis sinais da nova variante.

A variante Ômicron da Covid-19 é uma grande preocupação das autoridades de saúde de todo mundo, especialmente por ter demonstrado uma capacidade de disseminação muito maior que as cepas anteriormente descobertas, mas alguns sintomas podem ser diferentes.

Pesquisadores e médicos apontam que a Ômicron atinge a população de maneira mais branda, influenciada também por conta da proteção já adquirida com a vacinação, mas isso não significa que a nova cepa não gera sintomas preocupantes.

Grande parte dos pacientes infectados pela Ômicron possuem sintomas muito parecidos com os de um resfriado comum, como dor de cabeça, coriza, espirros e dor de garganta. Porém, pacientes de casos graves demonstraram um sintoma em comum que está preocupando médicos.

Sintomas da Ômicron 
De acordo com o aplicativo criado pelo King’s College London, milhões de infectados com a nova cepa apresentaram a sensação de confusão mental ou delírio. Foram detectados dois tipos de delírio: hiperativo e hipoativo.

O primeiro se trata de mudanças drásticas no comportamento, incluindo agitação, angústia e até agressão em casos graves. Por sua vez, o hipoativo é quando o paciente se torna mais retraído e menos responsivo, chegando até a apresentar sonolência exagerada. Os delírios hipoativos são mais difíceis de serem detectados.

O aplicativo que acompanha pessoas infectadas com Covid-19 apontou que este sintoma está se mostrando mais comum em pessoas mais velhas. Especialistas afirmam que este quadro de delírio pode ser o agravamento causado pela Covid-19 em outro problema de saúde.

Médicos alertam que em qualquer caso de sintomas de delírio, ou confusão mental, familiares do paciente devem prontamente levá-lo ao hospital mais próximo para buscar ajuda especializada.

Luis Augusto

Deixe um comentário